terça-feira, 6 de julho de 2010

De cócoras

Vi as explicações do presidente e do director desportivo do Sporting, acerca do negócio Moutinho. Há duas ideias que merecem destaque e que continuam por explicar: “o Moutinho disse-me que já tinha dado a palavra ao FCP”; “o sr. Pinto da Costa disse-me que só comprava o Moutinho se o Sporting estivesse de acordo”.

Mas anda tudo louco, só pode. Então o sr. Pinto da Costa negociou com um jogador do Sporting, com contrato até 2014, capitão, à revelia do clube, o que é ilegal e nada se passa. Pelo contrário, ainda reafirmou “o Sporting negociou de forma livre”. Não, Bettencourt, o Sporting não negociou, o Sporting foi chamado a decidir depois de já estar tudo decidido.

Perante estes factos o que se esperava. Uma posição de força dos dirigentes Leoninos, cortando relações institucionais com o Porto, e afirmar a missão de eliminar o sr. Pinto da Costa do futebol português. Mas qual quê, a cereja no topo do bolo ainda estava para vir: o bom do Bettencourt ainda teve a ousadia de sublinhar a postura correcta do Porto durante todo o processo.

E eu pensava que já nada me suspreendia no futebol Português

3 comentários:

  1. Aahahahahahaahahaainda nao pareei de rir...
    Ahahahahahahahahahahahahahahaa.
    Submissos ahahahahahahahahaahaha
    De Cócoras completamente este JEB cottonete ha uns anos ficou de mao estendida sem bençao papal e agora vira o rabinho e baixa a cueca para o idoso lho enfiar...ainda por cima foi sem vaselina. E se doeu????
    O capitao ahahahahahahahaha!!
    Metade da clausula ahahahahahaha
    Presidente remunerado ahahahahaha
    Costinha ahahahahah
    Sa Pinto ahahahahaha
    Maracas ahahahaha...

    ResponderEliminar
  2. PQosP! Lagartos submissos e sem espinha vertebral.

    ResponderEliminar
  3. A transferência do atleta João Moutinho do SCP para o FCP prova aos adeptos leoninos que o inimigo não mora no outro lado da 2ª Circular. Este é mais astuto, velhaco, como prova a aproximação ao jogador feita em 2008 na cidade do Porto. Facilmente se conclui que a "maçã" não apodreceu sozinha, foi contaminada por um microrganismo, acabando por ter este desfecho, na linha dos outros negócios ruinosos com o "clube amigo". Estranha-se é o facto das constantes propostas feitas pelos ingleses do Everton terem sido rejeitadas, denotando a incompetência directiva que grassa para as bandas de Alvalade. Por tudo isto, pela condição de submissão a um rival directo, temo que o treinador, director desportivo e presidente, não aguentem nos seus cargos até ao Natal graças ao aroma frutado em que vive o futebol português.

    http://dylans.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar