terça-feira, 15 de dezembro de 2009

O Benfica é, e está mais forte que o Porto

Há algum jogo, no estádio da Luz, em que o Benfica não seja favorito? Não, Claro que não.

O Benfica tem mais 10 golos marcados que o Porto, tem menos golos sofridos, só tem uma derrota no Campeonato, tem o melhor marcador e tem um ponto de vantagem sobre o adversário. Temos a melhor equipa, jogamos na Luz, e se tivermos atitude, ambição e querer vamos ganhar com a ajuda do Público!

O Benfica é, e está mais forte que o Porto.

20 comentários:

  1. Não passas de UM GRANDE FILHO DA PUTA!!!

    ResponderEliminar
  2. Tens toda a razão! Força Benfica!

    ResponderEliminar
  3. Lá está o 1º anónimo a olhar-se ao espelho e a refilar com ele mesmo.
    Também eu acredito firmemente que vamos ganhar, até porque a presunção e a arrogância com que os jogadores e treinador do Porto já estão a falar, costuma pagar-se caro e eu assim espero que aconteça.

    ResponderEliminar
  4. olha o Jorge Costa deve ter passado por aqui e repetiu o que disse ao Javi Garcia... bem que o queriam fora do clássico mas esse já percebeu as trámoias do futebol português e até andou a meter juizo no Cardozo! foi só pena o Javi não ter tido oportunidade para falar com o Di Maria!

    era bom que os jogadores do Benfica levassem um banho com os mesmos argumentos deste post para peerceberem que são melhores desde que continuem a lutar com humildade ;)

    ResponderEliminar
  5. precisava da ajuda nao so de todos os benfiquistas, como de todos os que estão fartos desta podridao no futebol portugues, como se viu no jogo com o olhanense,sendo algarvio vi nesse jogo, algo que me envergonhou, nao so a mim, como á maioria dos algarvios que nao se reviram na atitude dum clube chamado olhanense que claramente se vendeu, toda a gente sabe a quem, prejudicando-se inclusive a si proprio com ausencia de 2 jogadores importantes para os proximos jogos, por expulsao,devido ao comportamento premeditadamente agressivo para fazer favores a alguem.
    peço a vossa ajuda para que se possa denunciar essa atitude a um patrocinador oficial do desse clube, que é um organismo publico (regiao de turismo do algarve), logo está sujeito á opiniao dos contribuintes atraves da seguinte petiçao:
    www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2009N882

    ResponderEliminar
  6. Na sua esmagadora maioria, os benfiquistas vivem a centenas de quilómetros de Lisboa e passam as suas vidas sem nunca porem os pés no Estádio da Luz, algo que contraria frontalmente aquilo que se entende por ser adepto. No entanto, o distanciamento que se verifica entre os benfiquistas e o Benfica não é apenas geográfico mas também cultural, pois estas pessoas pouco ou nada se identificam com a cultura lisboeta: não gostam de touradas, não ouvem fado, não comem caracóis, não falam com a efeminada pronúncia alfacinha, não festejam o Santo António, não chamam “bica” ao café expresso, etc. Assim, para justificar a sua improvável ligação a um clube de Lisboa, adoptam muitas vezes justificações filosóficas do tipo "existe uma mística que ninguém consegue explicar…", que não passam, no fundo, de desculpas esfarrapadas para justificar algo que não pretendem assumir: a sua falta de capacidade para lutar por aquilo que é verdadeiramente seu.
    Apesar do show-off que tanto gostam de alimentar, os benfiquistas jovens nunca viram o Benfica vencer nenhuma competição internacional, nunca sentiram a emoção de festejar nas ruas da sua cidade a conquista de uma Liga dos Campeões Europeus, não conhecem o orgulho de ver o seu clube atingir o topo do futebol mundial ganhando uma Taça Intercontinental. Os feitos gloriosos do passado longínquo são-lhes transmitidos por relatos na terceira pessoa e por imagens a preto-e-branco. Pelo contrário, os adeptos rivais da mesma idade já festejaram, por esta altura das suas vidas, duas Taças dos Campeões Europeus, uma Taça UEFA, duas Taças Intercontinentais e uma Supertaça da Europa. Este facto vem contrariar completamente a sua versão do “Glorioso”, o “Colosso”, o “Maior do Mundo”, o que suscita invejas, frustrações e ódios que, por sua vez, originam a segunda influência mais nefasta do benfiquismo na sociedade portuguesa: a desvalorização do mérito alheio e a responsabilização de terceiros pelos erros próprios em vergonhosas e infantis teorias de conspiração.

    http://oportoeomaiorcarago.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Qualquer pessoa que goste de futebol sabe que os campeonatos de Espanha e de Inglaterra são os maiores e mais competitivos da Europa. Quem acompanha estes campeonatos com certeza já constatou que, em qualquer dos jogos realizados, os estádios estão cheios de adeptos que apoiam a equipa que joga em casa, mesmo quando esta recebe a visita de clubes de maior dimensão. Isto acontece porque, nestes países, a população goza de um forte espírito bairrista ou mesmo regionalista, o que permite que cada clube beneficie do apoio incondicional da população da cidade ou região que representa, tornando-se assim mais competitivo e financeiramente mais estável. Ninguém duvida que o Barcelona não seria o colosso que é se não fosse pelo poder mobilizador que possui como bandeira da Catalunha. Ninguém duvida que o Manchester United nunca seria o que é se as suas gentes optassem por apoiar as equipas de Londres. Ora, esta situação não acontece em Portugal porque, graças aos interesses de Lisboa, generalizou-se, junto da população, a ideia pré-concebida de que o bairrismo e o regionalismo são coisas negativas prejudiciais aos país. Assim, apesar de existirem alguns clubes de carácter claramente regionalista (como são os casos do FC Porto e do V. Guimarães), a maioria dos portugueses enveredou pelo benfiquismo, o que contribuiu para a derrocada completa da competitividade do campeonato português. De facto, não faz sentido absolutamente nenhum que um país pequeno, com apenas 10 milhões de habitantes, tenha 3 milhões de seguidores do mesmo clube (e não os 6 milhões que algum pateta se lembrou de inventar e que muita gente ignorante assumiu como realidade). Nem faz sentido que vastas regiões do país com importância económica e política (como são os casos de Trás-os-Montes, Algarve e Alentejo) não possuam presentemente nenhum clube representativo na Primeira Liga, salvo a honrosa excepção do Olhanense que subiu de Divisão este ano. Se isto acontece é porque algo está muito errado em Portugal.

    http://oportoeomaiorcarago.blogspot.com/

    Estes textos são dedicados ao pseudo-benfiquista algarvio que teve a distinta lata de chamar vendido ao Olhanense quando, na realidade, foi ele próprio quem se vendeu aos interesses do lobby lisboeta, deixando-se arrastar como um carneirinho pela propaganda da capital. Quem é fraco e medíocre ao ponto de rejeitar a sua identidade devia, pelo menos, respeitar aqueles que têm a coragem de assumir e lutar pelo que é seu.

    ResponderEliminar
  8. Caro “azule”,
    No 1º comentário descobriu a Grandiosidade do Benfica, pois mesmo aqueles que não são de Lisboa e até mesmo os que têm uma pronúncia amorcãosada tripeira, que bebem cimbalinos, levam com o martelo de S.João na cabeça e comem francesinhas sentem por este Clube. Digamos que é uma Paixão.
    No 2º comentário reforça a ideia da Grandiosidade do Benfica, pois apesar das diferentes regiões, a maioria de adeptos é Vermelha. Ainda neste comentário aproveita para dizer o discurso ensaiado e repetitivo...blá, blá, blá...a culpa é de Lisboa. Blá, blá, blá... é o lobby Lisboeta.
    Ah, e essa de que a maioria enveredou pelo Benfiquismo (essa linda religião) e que com isto foi a derrocada da competitividade do campeonato português... não pega. Porque vários clubes não tendo uma estrutura suficientemente forte, consequentemente têm objectivos médios/baixos criando eles desde logo uma barreira ao desenvolvimento dos clubes. Trata-se de terem uma mentalidade de pouco alcance, em que para eles o brilharete do ano passa por jogar bem contra os grandes, esquecendo-se que deveriam ter a mesma atitude para com as outras equipas. Isto sim, a mentalidade com que são encarados os jogos, é que é a derrocada da competitividade do nosso campeonato. Escreveu bem quando referiu casos como o Barça e MU, mas aqui não foi só a questão do regionalismo (acerca do MU até acho que nem passa por aí) foi o investimento feito pelas pessoas que estão a gerir os clubes e consequentemente foram ganhando dimensão...e seguidores mundiais, portanto, às tantas já deixaram de ser clubes regionalistas.
    Voltando ao nosso futebol, veja o caso do braga! Cidade maioritariamente Benfiquista. O clube aproveitou alguns jogadores de qualidade vindos de outros clubes para desenvolver o trabalho. Neste momento, e atendendo à boa campanha europeia do ano passado e dando seguimento a nível interno na presente temporada, há ou não mais público nas bancadas???
    Há que apostar.
    E a culpa é do Benfica ou de Lisboa?!?!?!

    Cumprimentos de um gajo que bebe muitas bicas, festeja o Stº Antº (pena ser anualmente), gosta de touradas, ouve fado e corre a cidade à procura dos melhores caracóis. Quanto à pronúncia... pelos menos nós dizemos os v's! :))
    ..

    ResponderEliminar
  9. Mas quando é que os portistas percebem que o Porto é um clube regional e que o Benfica é um clube mundial??? O Benfica não se limita a regionalismos bacocos que são defendidos muitas vezes por quem nem se interessa pelo futebol!

    Lobby lisboeta?? Touradas, caracóis, e santos populares desde quando que são só lisboetas? Mas ainda não repararam que Lisboa tem mais pessoas de todo o Portugal do que alfacinhas de gema??

    Não admira que com adeptos com atitudes provincianas que o FC Porto apesar de conquistas a custa dos lobbys da corrupção continue a ser um clube regional!

    ResponderEliminar
  10. Isso do Favoritismo é relativo, o Benfica todos os anos é um dos favoritos a ganha o campeonato, o favorito da imprensa, mas depois a bola começa a rolar e nada.

    Sim o Benfica tem mais golos, mas tem um monte de penaltis inventados, golos que nasceram de faltas inventadas, é a equipa que mais minutos joga com mais unidades em campo por expulsões aos adversários.

    Mas o benfica será ainda mais favorito e vencedor antecipado, quando soubermos que vai ser o Lucílio Batista a apitar a partida.

    ResponderEliminar
  11. quantos penaltys inventados, faltas inventadas e foras de jogo não assinalados já teve o Porto esta época??? muitos mais que o Benfica!

    quantos clássicos apitados pelo Lucílio Batista ganhou o Benfica? nos últimos 20 anos nos clássicos entre Benfica e Porto só há um denominador comum... o Porto a ser beneficiado pelas arbitragens!!

    ResponderEliminar
  12. vai chupar pissas oh anonimo... evolui e pensa .. em vez de mandar palpites para o ar... clubismo mediocre e nojento... eu gosto de futebol em geral... não só de um clube. se o porto merece e joga bem..eu admito... gosto de futebol... e felizmente não tenho a tua mentalidade atrasada. cumps aos verdadeiros portistas,benfiquistas, sportingistas e desportistas em geral

    ResponderEliminar
  13. 1) Ser benfiquista nada tem a ver com "paixão" mas com a vergonha de assumir a sua identidade própria e a incapacidade de lutar por aquilo que é verdadeiramente seu. Ouvir um algarvio criticar ou insultar um clube da sua terra em nome dos interesses de Lisboa é uma demonstração de falta de carácter e de provincianismo.

    2) A "paixão" e a "mística" não passam de balelas inventadas com o objectivo de justificar a relação improvável que a maioria dos benfiquistas mantém com o clube lisboeta. Tal como eu referi, a maior parte dos benfiquistas nem sabe do que fala, adoptando como seu um discurso que lhe foi impingido pela máquina propagandista lisboeta.

    3) Braga é uma grande cidade em franca expansão, que possui uma personalidade muito própria, um clube com imenso potencial e um estádio dos mais bonitos da Europa. Infelizmente, é também um excelente exemplo da mediocridade de uma população que nunca conseguiu assumir frontalmente a sua identidade nem lutar pelo desenvolvimento do seu próprio clube, preferindo assumir-se como adepta de um clube sediado a mais de 500km de distância e com o qual não possui a mais pequena ligação cultural. Isto sim, é uma demonstração de provincianismo bacoco!

    4) De facto, os alfacinhas sabem dizer tão bem os v's que até os usam mesmo quando não devem. Aliás, não é raro ouvirmos os alfacinhas gozarem com as pronúncias portuense, alentejana, algarvia ou açoriana, mas qualquer pessoa que ouça um alfacinha falar reconhece imediatamente a sua pronúncia afectada e efeminada ao estilo Castelo Branco.

    ResponderEliminar
  14. O adepto de um só cor (azul e branco), diz tudo quando se dá ao trabalho de aqui vir falar do Benfica, olhe que não perco tempo a falar do Porto, mas há uma lição que não quero aprender e uma maneira de estar que espero que não surja no mue clube, é a da corrupção e a da confrontação, afinal o crescimento portista baseou-se um putas, café com leite, fruta e com a lei do guarda abel, se isso é motivo de orgulho para alguns, a mim, enquanto cidadão de PORTUGAL e não de cidades, envergonha-me.

    ResponderEliminar
  15. Já vi tudo... mais uma vez. Não se aprende nada de novo... para os lados dos azules.
    A culpa é de Lisboa... e dos Portugueses Benfiquistas!!!
    É uma atitude vossa muito própria... a da inveja!
    Mude-se para espanha e seja feliz.

    ResponderEliminar
  16. Se existe um clube em Portugal cuja história está directamente relacionada com a corrupção, a manipulação e o falseamento de resultados, esse é, indiscutivelmente, o SL Benfica. O facto de a maioria de vocês não serem nascidos nas épocas áureas do SLB, não desculpa nem justifica a ignorância e muito menos o branqueamento sobre o passado. Qualquer um pode nascer burro, mas ignorante só é quem quer.
    De qualquer forma, nem sequer é necessário recuar aos tempos da Velha Senhora para percebermos a ligação promiscua existente entre esse clube e as autoridades lisboetas. Basta relembrar a forma vergonhosa e descarada como o SLB ganhou o título há 5 anos atrás para nos apercebermos da podridão que envolve esse clube e as suas mais recentes (e parcas) conquistas. É claro que, sobre isso, os pseudo-defensores da verdade e da justiça que, pasme-se, até se sentem envergonhados com o que se passa em Portugal, vão dizer-me que foi tudo claro e legal. Se a hipocrisia matasse, a Luz era um cemitério...

    ResponderEliminar
  17. Não me parece que alguém que festejou nas ruas da sua cidade natal a conquista de duas Taças dos Campeões Europeus, que sentiu o orgulho de ver o seu clube subir aos píncaros do futebol mundial ao erguer duas Taças Intercontinentais e, a tudo isto, ainda juntou uma Taça UEFA e uma Supertaça da Europa, tenha muitos motivos para invejar um conjunto de cidadãos que, deixando-se arrastar pelo caminho da mediocridade em nome dos interesses da capital, vivem com a frustração de nada terem ganho. Sim, eu sei que o SLB já ganhou mundos e fundos no tempo em que as balizas eram quadradas, mas quantos de vocês viveram efectivamente esses momentos? Com que direito se vangloriam dessas vitórias se nem sequer participaram nelas? Arranjem uma vida própria! Pensem com a vossa cabeça e não com a cabeça dos outros!

    ResponderEliminar
  18. Este artigo, que foi publicado no jornal A BOLA, é especialmente dedicado ao Jotas. Espero que contribua para que ele (que me parece ainda muito jovem) abra os olhos para a realidade:

    «Howard King, com 49 anos, era um árbitro de categoria. Costumava ser designado para os grandes choques entre os mais importantes clubes ingleses e entre os principais da Europa nas competições da UEFA.A sua primeira declaração ao referido jornal é esta :

    "Quando precisava de uma rapariga dirigia-me a intermediários dos representantes do clube que me parecia mais vulnerável e dizia-lhes:" Este jogo é muito importante para vocês: carecem da qualificação e o árbitro serei eu, a menos que arranjem as coisas de forma a que possa levar a rapariga comigo garanto-vos que a vitória não será vossa ."

    Estarrecedor, não é?!

    Essas exigências, segundo MR. King revelou ao News of the world, só tinham lugar quando os jogos que ia arbitrar envolviam clubes do continente. Uma das mais escandalosas propostas que recebeu verificou-se em Lisboa , antes de um importante encontro entre o Sporting e o Dínamo de Minsk. Confessa King:

    "Nessa noite levaram-me a um clube, em Lisboa, onde se encontravam muitas raparigas das mais belas e bonitas. O fulano que me acompanhava disse: "Escolha!" Respondi que não compreendia o que aquilo significava, mas ele esclareceu-me. E eu, claro, escolhi uma loira, alta, a mais bela mulher que vi em toda a minha vida ."

    Isso foi em 1984. O Sporting venceu por 2-0. O árbitro inglês jura a pés juntos que não favoreceu nenhum dos clubes intervenientes. Disse, ainda que, depois do jogo, um delegado do D.Minsk entrou na cabine para entregar-lhe um presente mas encontrou-o abraçado a um antigo amigo português, um dirigente federativo: "As coisas em Lisboa eram boas em demasia !"

    "A UEFA sabe perfeitamente o que se passa quanto a hospitalidades de quarto de cama mas nada faz para o impedir. Enviaram-me prostitutas em quase todos os países onde arbitrei: na Rússia, Alemanha, Portugal, Holanda, Espanha, Dinamarca. Entre 1983 e 1993 arbitrei jogos que envolviam clubes como Barcelona, Benfica, Sporting, Ajax, PSV, Hamburgo ou Bayern. Mandaram-me mulheres para os quartos em, pelo menos, 12 ou 15 ocasiões. Tratava-se de raparigas na casa dos 20 anos, quase sempre belas figuras. Não se comportavam directamente como subornadoras mas sabiam muito bem o papel que estavam a representar e, invariavelmente, diziam saber quem eu era. Isso fazia parte de um método que os clubes utilizavam na esperança de ganhar vantagens e experiência."

    Em 1992 Mr. King regressa a Portugal para dirigir o Benfica-Sparta de Praga. Eis as suas afirmações :

    "O valor dos presentes que me enviaram excedeu em muito o limite de 40 libras (cerca de 10 contos) a que estamos autorizados. Fui almoçar com o delegado da UEFA a esse encontro, que era, simultaneamente o presidente do Comité de Arbitragem da UEFA, que ao ver as prendas que eu recebera disse imediatamente: " Você está a colocar-se em situação difícil !" Claro que concordei, mas a arbitragem no dia seguinte não deu margens para reparos. Não lhe falei, no entanto, na rapariga que esteve comigo na noite anterior. Ela não me pediu dinheiro e eu, como é natural, nada lhe ofereci."»

    ResponderEliminar
  19. Falou o senhor inteligência, o senhor da razão!!
    Os outros são todos burros, se não o são, então são ignorantes!!
    20 anos de trapaçadas e Nós é que estamos relacionados à corrupção?!?!
    Já deixou a cassete da regionalização e passou para a da "corruportoção"?!

    É só cassetes massificadas.
    ..

    ResponderEliminar
  20. Ser benfiquista é como namorar com uma gaja boa. Adoramos que os outros nos invejem por termos uma namorada com umas grandes mamas e um belo rabo, mas vivemos com a angústia de saber que ela, no fundo, é uma cabeça oca.
    O Benfica vive de operações de cosmética para manter uma bela imagem, mas no fundo não passa de uma fraude desportiva, um produto de marqueting, uma criação política.

    ResponderEliminar