quarta-feira, 13 de maio de 2009

Primeiro ano de Rui Costa e o futuro treinador

Rui Costa, mais que ninguém (mas não mais que eu), queria começar a sua carreira de director desportivo a ganhar.
Luís Filipe Vieira, receando a sua não-eleição e o surgimento de opositores credíveis, temendo ficar na história do SL Benfica como uma gralha palrante sem qualquer espécie de brilho, queria, mais que ninguém (mas não mais que eu), ganhar.

Mas, não ganhamos. Olhemos então para o futuro.

Eu não acredito que Quique Flores continue a treinar o Benfica. Vai sair.

Ganha novo fôlego, portanto, o debate em torno da sucessão técnica. E pelo que percebo, entre amigos ou conhecidos que sondo, o Jorge Jesus lidera de forma destacada o ranking de preferências. É o “futebol de ataque”, é o “futebol bonito”, é a “mestria das tácticas”, é o “já viste o que ele fez noutros clubes?” é o “já merece uma oportunidade num grande”.

É tudo isto. Junto. Em prol da ideia de ter Jorge Jesus na Luz. Mas hoje, de manhã, a caminho do trabalho, surgiu-me uma dúvida: serão todos esses argumentos válidos apenas para o Jesus? Não haverá outros treinadores portugueses que preencham, um por um, todos esses requisitos? Por acaso há. E, por muito que possa custar aos defensores do Jesus, chamam-se Manuel Machado e Manuel Cajuda.

Por esta altura já estarão a rir ou a pensar que enlouqueci. Por isso peço-vos que olhem de novo para os argumentos pró-Jesus. E agora tentem desmentir-me: há algum que não se aplique ao Manuel Machado ou a Manuel Cajuda? Não estou a defender a contratação de qualquer um deles. Estou apenas a sugerir que se trave um pouco o “endeusamento de Jesus”.

Venha quem vier, o SL Benfica da próxima época não tem margem para vacilar e para falhar. Estará sob fogo. Só é credível se for capaz de mostrar que está na Liga para a ganhar.
Por todas as razões, a próxima época é decisiva para o futuro do SL Benfica. Por isso mesmo, espera-se, e não se admite outro caminho, que não uma aposta firme na equipa de futebol.

Não se podem apenas arriscar metas que ficam presas a discursos de fé, alicerçados na recuperação económica. É preciso arriscar no futebol. É preciso dar o salto para o patamar dos clubes que lutam pela vitória.

É preciso ganhar.

PS1 - Para que conste, assumo aqui, perante todos, a minha opção: atendendo às circunstâncias do clube, se eu mandasse alguma coisa no Benfica, o primeiro treinador que contactava para suceder ao Quique Flores era o Scolari.

PS2 - E Van Gaal? Se o Az Alkmaar tem dinheiro para lhe pagar, nós não temos?

7 comentários:

  1. Defenitivamente Scolari.
    Saudações Desportivas
    João

    ResponderEliminar
  2. Boas...
    Sou do Brasil (Curitiba - PR), achei show de bola seu blog...

    Pois é né, o Benfica não está numa grande fase mesmo. Acompanhamos um pouco aqui do Brasil, e a superioridade do Porto foi grande. Será q essa história do Felipão pode se tornar realidade?

    Aqui no brasil, meu time tambem passa por dificuldades (Paraná Clube), mas isso não vem ao caso agora aHuaHuaha...

    Entra no meu blog lá, é novo, mais falaremos de tudo, muito inclusive de futebol tanto brasileiro quanto europeu!

    Grande abraço.

    Vinícius - ''Vina''

    www.resenhadeboteko.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. A escolha do treinador para o Benfica tem que que ser para ganhar
    Tem que ser alguém sem medo e com muita vontade de ganhar com garra força atitude
    Se for uma escolha acertada iremos ter um BENFICA A BENFICA
    ............. ÁGUIA AO PEITO.....

    ResponderEliminar
  4. Van Gaal parece a caminho do Bayern e seguramente está fora do nosso alcance. Scolari nunca mostrou ter qualidade para gerir uma equipa de um clube profissional. Jesus não faz milagres. O nosso presidente teima em mostrar que é o cúmulo da incompetência e da burrice e já começo a desconfiar da sua boa fé.
    Abraço,
    Zé Amaral

    ResponderEliminar
  5. Boas AM,

    o Van Gaal é um grande treinador, mas ele só esteve no Alkmaar porque tinha um projecto pessoal para o clube. Construiram um novo estádio e implementaram uma cultura de vitórias.

    O Benfica não tem nada disto para lhe oferecer, só confusão e histeria.

    Acho que qualquer dos treinadores portugueses que mencionaste faria um melhor trabalho NESTE Benfica.

    ResponderEliminar
  6. Porque não contratar o Manuel Machado??

    ResponderEliminar