quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Ainda não perdi a esperança

Depois do que vi no segundo golo do Porto, esta noite, na vitória sobre o Arsenal, ainda não perdi a esperança de ver um árbitro meter a bola com as próprias mãos dentro da baliza.

Depois da mão de Henry, que permite à França ir ao mundial
e a validação deste golo será que este Senhor ainda vai ao Mundial?

Deve ser este tipo de ajudas que o Bruno Alves se referia depois da arbitragem do Bruno Paixão!!!!!

23 comentários:

  1. Quer seja a favor do Porto quer seja a favor do Benfica este golo é completamente ilegal.Senão vejamos aquando do toque de bola do Ruben Micael O arbitro está com ambos os braços em baixo,logo o livre teria que ser directo,o que não foi, após o toque do Ruben então o juiz levanta o braço sancionando a jogada. Estou mesmo a ver lances como estes se forem elaborados pelos nossos jogadores e que tenham este fim, aparecerem por aí as carpideiras do costume a dizer que é ilegal..já os conhecemos de Jingeira.''Já está'' dizem eles...

    ResponderEliminar
  2. Abelourinha...o braço no ar não é o apito...é pra dizer se era indirecto ou directo.

    O FCP aproveitou a situação e facturou.

    Tal como o Arsenal já fez várias vezes e o MaisFutebol fez favor de exemplificar em 2 lances...mas há mais

    ResponderEliminar
  3. "Senão vejamos aquando do toque de bola do Ruben Micael O arbitro está com ambos os braços em baixo,logo o livre teria que ser directo,o que não foi"

    Eu fico espantado com a ignorância demonstrada nos comentários que aqui leio.
    Quando um livre é directo, o jogador que marca o livre pode atirar directamente à baliza ou passar a um companheiro de equipa, a opção é dele. Quando um livre é indirecto, o árbitro levanta o braço a indicar que o jogador não pode rematar directamente para a baliza, tendo que passar a bola a um companheiro. Portanto, neste caso em particular, quer o livre fosse directo ou indirecto, o jogador do Porto não cometeu nenhuma infracção pois passou a bola ao colega, o que é legítimo em qualquer situação.
    Eu não concordo com estas situações, mas só por estupidez se pode afirmar que o lance é ilegal. Trata-se na verdade de uma lacuna nos regulamentos da qual o próprio Arsenal já soube tirar proveito em pelo menos duas situações no campeonato inglês, tal como os vídeos disponíveis no YouTube comprovam.
    Para terminar, aconselho-vos a preocuparem-se mais com o Benfica do que com o FC Porto. É que esta azia que demonstram ao criticar o golo da vitória dos portistas sobre os ingleses dá uma triste imagem de um clube que se diz "maior do Mundo e arredores", se é que me faço entender.

    ResponderEliminar
  4. A chico-espertice da escumalha no seu melhor.Nao repetiram o lance mas tenho duvidas que o Falcao nao esteja fora de jogo,se alguem nos conseguir esclarecer agradeço.

    ResponderEliminar
  5. não não está fora de jogo ó parvalhão. se acham que o golo é ilegal mostrem lá a regra que o prova, sff. até nos jogos internacionais arranjam maneira de mandar vir.

    ResponderEliminar
  6. Boa noite pessoal, nao sei se alguem contou as vezes que os jogadores do CRAC reclamaram ou por faltas ou por penaltis,coitados e a força do habito ou entao e alinha que ja esta traçada...lol

    ResponderEliminar
  7. Deixo-vos aqui um excerto da Lei 13 que regulamenta a marcação de pontapés-livre. Apesar da lei não falar especificamente da marcação rápida dos livres e da formação de barreiras, estes dois parágrafos demonstram que a marcação rápida é legal aos olhos do regulamento do futebol:

    "Se um jogador decide executar um pontapé-livre rapidamente e um adversário, que se encontra a menos de 9,15 metros da bola, a intercepta, o árbitro deve permitir que o jogo prossiga."

    "Se um jogador decide executar um pontapé-livre rapidamente e um adversário, que se encontra perto da bola, o impede deliberadamente de o executar, o árbitro deverá advertir esse jogador por retardar o recomeço do jogo."

    Repare-se que a lei diz "se o jogador decide executar rapidamente o pontapé-livre", o que significa que essa opção é do jogador que marca o livre. Além disso, está prevista uma punição para um defesa que impeça o adversário de marcar rapidamente um livre, o que significa que não existe absolutamente nada de ilegal no golo do FC Porto, ao contrário do que alguns ignorantes (incluindo o autor do blogue) aqui alegaram.
    Aconselha-se a estas pessoas que, antes de virem para aqui vomitar asneiras que mais não são do que uma demonstração de azia, leiam primeiro os regulamentos e se informem para que não façam tristes figuras que em nada dignificam o clube de que dizem ser adeptos.

    ResponderEliminar
  8. O estupido sera que nao se podem ter duvidas .e ja estamos habituados que em caso de duvidas nao repetem.Ja agora vai chmar parvalhao a puta da tua mae

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  11. Com quem joga o benfas para a Liga.... Europa?

    Resumam-se à vossa insignificância.

    ResponderEliminar
  12. Foi um golo muito corrupto e assim sendo, está correcto no clube corrupto

    ResponderEliminar
  13. Perguntas e respostas obtidas a partir do Internacional Board disponibilizado pela Liga de clubes com sede NO PORTO

    7. Um jogador executa um pontapé-livre de forma rápida e a bola entra na baliza. O árbitro não teve oportunidade de indicar que o pontapé-livre era indirecto. Que decisão deve tomar o árbitro?
    Deve mandar repetir o pontapé-livre indirecto no mesmo local, já que não teve tempo de indicar que o mesmo era indirecto.
    Não fui eu que inventei, é o que está lá escrito.(NOTA: o arbitro no caso em análise só levanta o braço a avisar que o livre é indirecto após o Ruben Micael endossar a bola ao Falcão logo não procedeu conforme mandam os regulamentos)o livre deveria ser repetido.

    ResponderEliminar
  14. Esta escumalha esta desesperada porque sabe que a mama se lhes vai acabar,e o estertor da morte vao rindo que sempre quero ver com quem vao jogar pro ano na liga... europa,PALHAÇOS

    ResponderEliminar
  15. A Rubina Micaela ate mete do ,sempre de boca aberta,e como nao tem entrado mosca so sai MERDA.Protesta ,protesta coitada e muito sensivel nao se lhe pode encostar um homem que fica logo excitada.Temos que lhe oferecer um BIBRADOR eheheh

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  17. O zezinho querido tou a ver que es como a Rubina mas nao fiques ciumento que tambem te ofereço um BIBRADOR carago.Quanto ao resto a minha mae nao e puta e sabes porque ,simples porque nao sou teu irmao.INCHA CABRAO

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  19. se o jogador do Arsenal agarra-se a bola o árbitro mostrava amarelo? ou é de lei que é obrigatório fazer anti-jogo para impedir a marcação rápida de uma falta dentro da grande área? quando não há bom senso do árbitro é o salve-se quem puder, porque a aplicação das regras depende e muito disso tal como diz nas próprias regras.

    os jogadores do porto fizeram bem. o árbitro é que não deve permitir a marcação quando nem sequer está a ver a bola. ele sabia que a bola estava parada? como? pelo olho de trás?

    porque razão o árbitro parou uma jogada do Porto no meio campo mais tarde? porque estava 1 metro fora do sítio? é um absurdo!

    ResponderEliminar
  20. "The Arsenal Captain Cesc Fabregas refused to back up his manager by complaining about Porto's winning goal, and said that he would have done the same thing if the roles were recersed. In fact he slammed Lukasz Fabianski by sating that both goals were down to "schoolboy mistakes"."

    ResponderEliminar
  21. 7. Um jogador executa um pontapé-livre de forma rápida e a bola entra na baliza. O árbitro não teve oportunidade de indicar que o pontapé-livre era indirecto. Que decisão deve tomar o árbitro?

    Apesar desta regra não ser absolutamente clara, parte-se do princípio que ela se refere a uma situação diferente daquela que aconteceu no jogo com o Arsenal. Se um livre for indirecto e o jogador rematar rapidamente à baliza marcando golo directamente, o árbitro deverá mandar repetir o livre no caso de não ter tido tempo de informar o jogador de que o livre seria indirecto. Mas, no caso do livre ser indirecto e o jogador passar a bola a um companheiro (tal como aconteceu agora), não haverá lugar a repetição porque o livre foi correctamente marcado. É essa a interpretação que eu faço da lei.
    De qualquer forma, uma vez que as regras não são claras e suscitam alguma subjectividade na sua interpretação, parece-me que é ridículo virem para aqui inventar argumentos para alegar que o golo foi mal validado. Ou apresentam factos que o comprovem, ou mais vale estarem caladinhos sob pena de darem mostras de estarem ressabiados com a vitória do Porto.

    ResponderEliminar
  22. "Se o jogador do Arsenal agarra-se a bola o árbitro mostrava amarelo? ou é de lei que é obrigatório fazer anti-jogo para impedir a marcação rápida de uma falta dentro da grande área?"

    Neste aspecto, as regras são claras. Um defesa pode colocar-se a menos da distância regulamentar para impedir que o avançado marque rapidamente o livre. Caso o defesa intercepte a bola nestas circunstâncias, o jogo deverá prosseguir sem qualquer falta. No entanto, caso o defesa impeça o avançado de marcar o livre (agarrando a bola, agarrando o jogador ou interpondo-se entre ele e a bola) então é o defesa que deverá ser punido por anti-jogo.
    Analisando bem as regras, verifica-se que estas estão feitas de forma a defender a rapidez da marcação dos livre e não o contrário. O problema é que nós não estamos habituados a esta situação porque em Portugal tudo serve para atrasar o jogo e perder tempo. Já o Arsenal devia estar mais habituado a esta situação visto que eles próprios já beneficiaram de situações idênticas tal como a imprensa britânica fez questão de lembrar a Wenger.

    ResponderEliminar
  23. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar